4 jan por Undime MG

ouvir

Magda Soares e a importante contribuição para a educação brasileira

Professora titular emérita da Faculdade de Educação da UFMG faleceu no primeiro dia de 2023, aos 90 anos de idade; seu legado ficará para sempre como referência na área da alfabetização

A Undime recebeu com pesar a notícia do falecimento da professora Magda Becker Soares, ocorrido na madrugada do último domingo (1º de janeiro). Professora emérita da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), vinculada à Faculdade de Educação, da qual foi uma das idealizadores, e fundadora do Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita (Ceale), Magda será sempre lembrada como um dos nomes mais importantes da área da alfabetização no Brasil, tendo obtido, inclusive, reconhecimento internacional.

Nascida em 7 de setembro de 1932, Belo Horizonte, Minas Gerais, Magda graduou-se no campo das línguas e da literatura e tornou-se doutora e livre-docente em Educação. Autora de extensa bibliografia, Magda trabalhava, até há bem pouco tempo, em novo livro sobre a utilização da literatura no ensino da leitura e da escrita. Segundo ela “A arma social de luta mais poderosa é o domínio da linguagem”. Magda Soares deixa as filhas Marcia, Lucia, Magda Lucia, os filhos Marco Antonio e Paulo Sergio, quatro netos e dois bisnetos.

“Recebi com pesar e muita tristeza a notícia do falecimento da professora Magda Soares. Acredito que todos os educadores também tenham sentido bastante essa perda, que, na realidade, é de toda a nossa educação. Magda era conhecimento em pessoa e muito pode nos ensinar ainda em vida sobre o processo de alfabetização e letramento”, ponderou o presidente da Undime, Luiz Miguel Martins Garcia, Dirigente Municipal de Educação de Sud Mennucci/SP.

Para o vice-presidente da Undime e Dirigente Municipal de Educação de Ibaretma/CE, Alessio Costa Lima, além das muitas contribuições e reflexões no campo da alfabetização, Magda Soares deixou sua marca com a criação do Ceale, vinculado à Faculdade de Educação da UFMG. “O Ceale hoje é referência no que tange à alfabetização. Com certeza, esse é um dos grandes legados que a professora Magda Soares nos deixa. A alfabetização é uma fase de suma importância na vida escolar de todas as crianças, pois é determinante para todas as outras que virão. Ela será sempre lembrada como uma pessoa que dedicou grande parte de sua vida aos estudos nessa área”.

Daniela Montuani, vice-diretora do Ceale/UFMG, lembra os ensinamentos deixados pela professora Magda Soares. “Ela sempre estava pensando na pesquisa, na extensão e incentivando a formação de professores e, nos últimos anos, estava diretamente desenvolvendo um trabalho nas escolas públicas de Lagoa Santa, município próximo à Belo Horizonte, que se tornou referência para alfabetização de crianças”.

Daniela conta ainda que teve o privilégio de acompanhar de perto esse trabalho da professora nos últimos anos e que todo esse envolvimento se tornou referência para os pesquisadores e professores da academia, sobretudo do ponto de vista da relação entre universidade e escola pública de maneira tão consistente e presente.

Ao recordar memórias vividas ao lado de Magda Soares, Daniela relatou que a professora acreditava extremamente no trabalho desenvolvido pelos municípios. “Para ela um trabalho forte de alfabetização e letramento nos municípios seria uma das chaves para que nós conseguíssemos de fato mudar a realidade do fracasso na alfabetização”. Ela explica que a professora acreditava na riqueza e na força que um trabalho bem organizado, direcionado, sistematizado, com continuidade e que não fosse apenas política de governo, que fosse um trabalho que se mantivesse independentemente do governo.

Escritora premiada, o último volume publicado por Magda – Alfaletrar: toda criança pode aprender a ler e escrever – foi baseado em experiência da educadora na interação com professores da rede municipal de Lagoa Santa/MG, cidade onde morava. Além disso, ela venceu o Prêmio Jabuti de 2017 (categoria educação e pedagogia) com “Alfabetização: a questão dos métodos”.

A professora Vanessa Menezes Oliveira, do município de Unaí/MG, conta que conheceu o trabalho da professora Magda no início dos anos 2000, quando fez uma especialização em Metodologia do Ensino Básico de Português.

De acordo com ela, as ideias, naquela época revolucionárias, do livro “Linguagem e escola” foram um divisor de águas para sua concepção de escola e sua função social. “A partir dessa leitura, tive contato com premissas referentes a Letramento, Linguística Textual e o papel do professor de português para garantir o acesso dos estudantes à aprendizagem por excelência. A professora Magda está entre os meus autores ‘de cabeceira’, uma vez que sua obra ajuda a me construir, desconstruir e reconstruir na minha prática, buscando sempre a melhor forma de mediar conhecimentos. Ler seus livros é uma dádiva, mas nada se comparava a ouvi-la. Sempre clara, certeira, conhecia como ninguém os problemas e apresentava soluções simples, mas de grande impacto na vida dos estudantes”, afirma.

“Sua estada entre nós mudou os rumos da educação brasileira e seu legado jamais será esquecido. Certamente, grande parte dos educadores do nosso país ficaram um pouco órfãos do seu dinamismo e seu amor por ensinar. Ela nos fará uma enorme falta, mas sua obra fica, para nunca nos esquecermos do importante papel que temos na formação dos estudantes do nosso Brasil”, completa Vanessa.

A vice-diretora do Ceale/UFMG, Daniela Montuani, recorda que o que mais se destaca para uma professora tão reconhecida nacional e internacionalmente, foi de fato, a disponibilidade, a presença gentileza, a humildade, em estar sempre próxima de todos que a procurava. “Ela sempre esteve presente, mesmo não estando mais na universidade, ela nos atendia rapidamente e nos dava orientações, com uma gentileza e empatia que realmente nos constrangia. Esse é um dos legados dessa pesquisadora, professora e um ser humano que pensa na alfabetização das crianças das camadas populares vai ficar presente para todos nós do Ceale. Ela estará sempre presente em nós por meio das ações que vamos desenvolver”, afirma. 

Nos últimos anos, a professora Magda Soares também se dedicava a apoiar o Núcleo de Alfabetização e Letramento do município de Lagoa Santa (MG). Em nota de pesar, a prefeitura comunicou que “todos os educadores da Rede Municipal de Educação lamentam o falecimento da querida professora que seguiu caminhando junto com a educação há 15 anos e sua participação transformou o município em referência na Alfabetização Infantil no Brasil e internacionalmente”.

Sempre solícita e acessível às demandas da Undime, bem como a convites e participações em eventos em todo Brasil, em setembro de 2020, ainda no auge da pandemia de covid-19, a professora Magda Soares participou de videoconferência do Conviva Educação (clique aqui para assistir ao vídeo na íntegra), sobre os desafios para o processo de alfabetização. O debate foi transmitido pelo Youtube e teve ainda como participantes Márcia Baldini, membro do grupo de trabalho integrado em Educação Infantil e Alfabetização da Undime, presidente da Undime Paraná e Dirigente Municipal de Educação de Cascavel/PR; e Luiz Miguel Martins Garcia, presidente da Undime.

Márcia Baldini conta que, para ela, a professora Magda Soares representava a essência do bom professor. “Era esforçada e inteligentíssima. Dedicou sua vida aos estudos na área da alfabetização e nos ensinou como alfabetizar, letrar e contribuir com o desenvolvimento de muitas crianças. A educação brasileira perde uma das maiores professoras que dedicou sua vida a educação escolar”, relatou. “Perdemos um exemplo de pessoa e ser humano maravilhoso. Tenho certeza que seus ensinamentos irão se perpetuar por muitas gerações, inspirando-nos com sua prática e exemplos, de fazer sempre o melhor para garantir a alfabetização de nossos alunos e a qualidade na educação”, completou.

“Em nome dos Dirigentes Municipais de Educação, a Undime manifesta os mais profundos sentimentos aos familiares e amigos, além de gratidão por todo legado deixado pela professora Magda Soares para a educação nacional. Os momentos em que tivemos a honra de tê-la conosco ficarão sempre guardados em nossa memória, juntamente com todo aprendizado que esses momentos de troca nos proporcionava”, conclui o presidente da Undime, Luiz Miguel Garcia.

Bibliografia

Comunicação em Língua Portuguesa, 1975;
Técnica de Redação: as articulações linguísticas como técnica de pensamento, 1978;
Travessia: Tentativa de Um Discurso da Ideologia, 1982;
Alfabetização no Brasil: O Estado do Conhecimento, 1989;
Português através de textos, 1990;
Metamemória, memórias: travessia de uma educadora, 1991;
Avaliação de letramento e suas implicações para medição estatística, 1992;
Letramento: um tema em três gêneros, 1998;
Alfabetização, 2001;
Português: uma proposta para o letramento, 2002;
Alfabetização: a questão dos métodos, 2017;
Alfaletrar: toda criança pode aprender a ler e a escrever, 2020.

Fonte: Undime 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

YouTube
Instagram
WhatsApp